Economia de 2021 aponta cenário ideal para compra do imóvel próprio

Publicado em: 07/03/21


 

As taxas de juros são as mais baixas da história, e devem continuar assim em 2021

 

Para quem planeja ter a casa própria este ano, o cenário é animador. O mercado imobiliário nunca foi tão atrativo. Com as taxas de juros mais baixas da história, que devem continuar assim em 2021, teremos mais pessoas buscando a compra por meio de financiamento imobiliário. O cenário tem motivos: um deles é a projeção do avanço do PIB (Produto Interno Bruto) em 3,5% em 2021.

 

Outro motivo já teve início em 2020. Mesmo em pleno pico da quarentena devido à pandemia do coronavírus, o resultado apontou um crescimento de 26% nas vendas de acordo com dados da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). Foram comercializadas 119.911 unidades no ano passado. Para 2021, as vendas de imóveis devem crescer cerca de 35%. Essa é a projeção da ABRAINC- Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias.

 

Vinicius Silveira, Diretor da Árbore Engenharia, empresa com 23 anos no mercado e hoje a 33ª entre as cem maiores construtoras do Brasil, reafirma o momento favorável para aquisição do imóvel próprio. “As taxas de juros nunca estiveram tão baixas e o imóvel apesar da inflação dos últimos doze meses, não subiu de preço, formando uma janela de oportunidades única no mercado. É sabido que os juros têm tendência de alta e que os preços de imóveis, em algum momento não distante, subirão. Por isso esse é o momento perfeito para quem deseja comprar um imóvel”, afirmou.

 

A Abecip- Associação Brasileira das Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança divulgou no último dia 26 de fevereiro que os financiamentos imobiliários com recursos do SBPE atingiram já R$ 12,3 bilhões em janeiro de 2021, maior volume mensal registrado para o mês na série histórica iniciada em 1994. Comparado a janeiro do ano passado (R$ 7,4 bilhões) houve um crescimento de 72%.

 

Dados divulgados pela Caixa Econômica Federal em fevereiro, apontam uma alta da contratação também do crédito imobiliário total (FGTS e SBPE) desde 2009, fechando 2020 com R$116 bilhões, relativos a 564,6 mil contratos. Em relação a 2018 o crescimento foi de 42,4%; em relação a 2019, um aumento de 28,8%.

 

Foi o que o Diogo Batista dos Santos, fez já em janeiro deste ano, comprando um imóvel em Itatiba. “Estava em busca de um apartamento na cidade e não estava encontrando. Busquei na Árbore e de prontidão já tive a documentação agilizada e em 3 dias assinei os papeis e realizei meu sonho da casa própria. Meus três filhos estão super felizes e ansiosos pra entrarmos no apartamento novo e consequentemente fico muito feliz também”, comentou Diogo

 

LANÇAMENTO NA REGIÃO

 

O negócio imobiliário nunca foi tão atrativo especialmente também para moradias com boa localização e preços adequados. A exemplo disso, a Árbore lança em breve mais três empreendimentos. Em Itatiba, o Vila Romana; em Itu, o Gran Club Itu e em Valinhos, o Landscape. A Árbore tem 23 anos de mercado e já entregou mais de 12 mil unidades. Conquistou o 33º lugar no Ranking INTEC 2021 das 100 Maiores Construtoras do Brasil e aparece quatro vezes no Ranking das PMEs que Mais Crescem no Brasil, da Revista Exame: em 2019 foi a 13ª no país e a 8ª em São Paulo.

Escreva sua resposta

Seu e-mail não será publicado.

*
*